screen-shot-2016-10-04-at-7-19-30-pm

TOQUE BUZINA. PARA ESTE INSTRUMENTO NÃO PRECISA ESTUDAR

A buzina do chacrinha é um instrumento musical? Imagino que seja, pois se até aro de calota de Oldsmobile o Ray Connif usava, tudo é possível. Vejo fotos das antigas paradas militares de 7 de setembro e imagino que o Chacrinha podia esta ali, usando sua barriga como surdo e buzinando com aquele artefato tão simpático em forma de caracol, que ele mantinha pendurado na cintura, com a descontração blasé de um feirante. A Buzina do Chacrinha fez tanto sucesso e deu origem a um jargão tão poupular, que na hora de fazer este post eu nao sabia que imagem usava. Na dúvida, juntei as duas. Hoje a pobre buzina esquecida seria um instrumento extremamente útil para tirar da frente esse povo que para em fila dupla na ciclovia, ou ainda para pedir licença na manada humana que atravessa nas esquinas da Av Paulista na hora do hush. Aliás esta palavra você também não conhece. Nada ver com Hush Hour, nem o 1, nem o 2 e nem o 3. Era o termo romântico para se referir a este caos infernal que é o trânsito em São Paulo. O Haddad bem que tentou, mas o cara ia ter que construir tanta ciclovia, que isso aqui ia parecer a China. Não sei até hoje porque a buzina do Chacrinha se tornou tão folclórica e também não sei o que é mais forte no imaginário nacional: a buzina, que até os vendedores de pipica adotaram, ou as chacretes, aquelas prostitutas desempregadas de bunda grande que ficavam dançando quase sentada no foco das câmeras, pois apesar de se dizerem atrizes não sabiam decorar texto nenhum. E precisava? Tudo que elas tinham que fazer, era dançar por 4 horas, posar para fotos da revista Manchete e fingir que iam no motel com o Chacrinha depois do show. Mas claro que isto não acontecia, pois o Chacrinha era muito fiel. Principalmente à buzina. Já acordava apertando aquele negócio, chamando a empregada para lhe trazer café na cama. Também usava para pedir passagem pra barriga quando estava no camarim. Sem dúvida nenhuma um ícone tão fantástico, que nem o Detran resistiu. Fez da buzina do Chacrinha estilizada o ícone de proibido buzinar das placas de rua. Agora deixa eu sair porque vou passar o resto do dia buzinando e em vez de ficar à toa na vida, vou me infiltrar na Banda com a sutileza de uma barriga de Chacrinha e confundir todos os músicos, com as minhas buzinadas estéricas e fora do refrão. FOOOOMMMM.

Roberto Calderón

Mentor anjo, CEO e fundador da FutureLab - Startup Builder and Capital | Especialista em viabilidade e planejamento de Startups, presidente do comitê de e-commerce e premiado em 2015 e 2016 com melhor profissional de marketing digital

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebookLinkedIn

  1. Parabéns!!!!….
    Funes que texto incrível….

Responder